Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



UM VOTO DE POBREZA MUITO ESPECIAL

Quinta-feira, 19.03.09

Esta manhã o Correio da Manhã fez manchete com a reforma milionária do padre Vitor Melícias. Segundo o jornal, o sacerdote da Ordem de S. Francisco aufere uma pensão mensal no valor de 7450 euros.

 

Confrontado com os números, Melícias afirmou que estes valores resultam da "remuneração acima da média auferida em vários cargos", entre os quais se destacam o de Comissário Nacional para Timor-Leste, Presidente do Conselho de Administração do Montepio Geral, Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Presidente da União de Misericórdias, entre outros.

 

Num país mergulhado numa profunda crise económica e social encontramos, cada vez mais, exemplos gritantes de pura hipocrisía, sendo os casos ainda mais graves quando envolvem representantes de confissões religiosas cujos seus membros, supostamente, fazem votos de pobreza e obediência.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Criatura da Noite às 15:58


2 comentários

De Tiago a 03.05.2009 às 11:49

Bom ordenado sim senhora...
Realmente é mais fácil dizermos aos outros para fazerem isto e aquilo do que nós próprios o fazermos.
Pergunto, qdo lhe foi perguntado os valores dos rendimentos ele não esclareceu que parte do mesmo dá a instituições de caridade, a missões, no apoio dos necessitados, seria uma boa atitude ....
Neste nosso Portugal infelizmente muitas coisas me chocam, e a nível de saúde nem se fala, e não me estendendo muito, reparem, vemos clínicas de saúde da santa casa, de ordens religiosas , nomeadamente em várias são próprias freiras que trabalham num espírito de ajuda ao próximo , no dar sem olhar a quem, da ajuda etc , etc , e o lógico seria pensar, ainda bem que as existe para que pessoas manifestamente sem possibilidades económicas , possam ter um sitio onde são tratadas, pois pura ilusão !!! Basta entrar numa e verificar os preços, e depressa se chega à triste realidade de se verificar que afinal não é para quem precisa é mais para quem pode...Seria muito interessante, um jornalista fazer-se passar por sem abrigo, doente, e recorrer a estas instituições e verificar-se qual é que lhe dava entrada e tratamento gratuito, seria mesmo muito interessante, ver o espírito de ajuda e solidariedade em tais ordens e misericórdias Arrisco dizer que o resultado não seria provavelmente o mais desejado e iria desmascarar muitas realidades.
E ao Sr , Padre Vítor Milícias , não lhe ficava nada mal distribuir algum do seu rendimento...

De Criatura da Noite a 03.05.2009 às 17:24

Oh Tiago, não me digas que achas o ordenado do sr. padre Melícias exagerado?! Vá, não sejas má-língua!

Infelizmente, o jornalismo de investigação é raro em Portugal. Os jornalistas limitam-se a fazer um jornalismo de "cópia e cola", ou seja, a Lusa fornece-lhes os factos e eles, simplesmente, redigem uma peça jornalística.

Por um lado, não surpreende este tipo de jornalismo. Afinal, muitos têm famílias para sustentar e se resolverem fazer muitas ondas contra os chamados grupos económicos que estão por trás da esmagadora maioria dos orgãos de comunicação, arriscam-se a nunca mais conseguirem encaixar-se em qualquer meio de comunicação social.

É degradante, mas é a triste realidade em que vivemos.

Comentar post