Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A GUERRA DOS SUBMARINOS

Terça-feira, 06.10.09

Durante um jantar comemorativo do 99º aniversário da Implantação da República, António Almeida Santos, Presidente do PS afirmou que não percebe "porque é que Portugal precisa de dois submarinos", sublinhando ainda que o Governo deveria vender os submarinos e comprar armas de forma a defender "o grande espaço marítimo português, onde se faz contrabando, onde há emigração ilegal e onde se importa droga ilegalmente".

 

De certa forma, atrever-me-ia até a acrescentar que é incompreensível Portugal manter nos quartéis milhares de homens e mulheres com a velha desculpa de pertencerem a um exército pronto a intervir em território nacional ou internacional a qualquer momento.

 

Mas defender as nossas fronteiras de quem ou do quê? Duma invasão castelhana? Há muito que os espanhóis tomaram de assalto o nosso país e não foi preciso usarem a força e as armas. Por esse Portugal fora grassam as grandes superfícies, lojas e afins com a marca de nuestros hermanos.

 

Portugal pode e deve ter uma força militar pronta a intervir em caso de guerra, mas em periodos de paz deve canalizar essa força para outras acções. Talvez não fosse totalmente despropositado encontrarmos militares ao lado de bombeiros a combaterem os incêndios que devastam ano após ano as nossas florestas ou a auxiliarem as forças de segurança no combate ao crime.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Criatura da Noite às 13:27