Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



UM PARQUE INFANTIL CHAMADO PSD

Domingo, 14.03.10
Por estes dias, o olhar político nacional recai inteiramente sobre a bonita cidade de Mafra. Não, não é devido ao magnífico Convento datado do século XVIII ou ao maravilhoso pão saloio originários da região.

Na verdade, Mafra recebe por estes dias o Congresso Nacional do PSD que antecipa as eleições directas previstas para o próximo dia 26. Na calha perfilam-se nomes mais ou menos sonantes como Pedro Aguiar-Branco, Castanheira de Barros, Pedro Passos Coelho e Paulo Rangel.

Numa altura em que o país e o mundo se encontram mergulhados numa crise económica e social de dimensões dantescas, uma pergunta se impõe: estarão os portugueses minimamente preocupados com o futuro de um partido político que, mais não faz do que desfilar um autêntico rol de nomes a candidatos a líderes e a pseudolíderes e que acabam, inevitavelmente, por soçobrar às quezílias e rivalidades internas?

Aliás, a propósito desta questão Alberto João Jardim, Presidente do Governo Regional da Madeira, afirmou há dias que "O PSD está em 47º lugar na minha lista de prioridades".

Talvez as palavras de Jardim espelhem o sentimento da generalidade dos portugueses. Ao cidadão comum é apresentado, diariamente, desafios tão vitais como a manutenção ou a procura de emprego, a ginástica económica necessária para chegar ao fim do mês com dinheiro para pagar as contas e ainda colocar comida na mesa ou a insegurança que grassa por esse país fora.

Em abono da verdade, existem questões bem mais prementes do que a vida de um partido que já conheceu melhores dias e que noutras épocas fazia uma verdadeira oposição ao Governo apresentando-se, quase sempre, como uma alternativa séria ao Executivo de então.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Criatura da Noite às 10:43