Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



OS PORTUGUESES E OS FERIADOS

Quarta-feira, 20.04.11

Numa semana em que as negociações para o resgate financeiro de Portugal se intensificaram e a troika de negociadores (FMI, BCE e Comissão Europeia) se reuniu com partidos, sindicatos, representantes patronais e demais parceiros sociais, o Governo aprovou hoje em Conselho de Ministros o despacho que determina a concessão de tolerância de ponto para a tarde de amanhã aos funcionários públicos. Assim, e a acrescentar à tarde de 5ª feira, os trabalhadores afectos ao Estado terão ainda a 6ª feira Santa, o sábado, o domingo e o feriado do 25 de Abril que, coincidência das coincidências. este ano calha na 2ª feira logo após o fim-de-semana de Páscoa.

 

De facto, não poderiamos escolher pior altura para demonstrarmos ao resto da Europa a nossa especial apetência por feriados, tolerâncias de ponto e afins. Segundo o jornal Público, a tarde de 5ª feira custará ao Estado cerca de 20 milhões de euros. Num país em bancarrota e à beira do resgate financeiro, urge alterar a lei e revogar definitivamente a esmagadora maioria dos feriados, sobretudo, todos aqueles de cariz religioso.

 

A continuarmos a agir com tanta leviandade, apenas reforçaremos a posição de países como a Finlândia que, nos últimos tempos, têm vindo a demonstrar alguma relutância em salvar Portugal do colapso financeiro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Criatura da Noite às 21:16


4 comentários

De T. a 22.04.2011 às 13:47

É errada toda esta especulação, as pessoas esquecem-se que dentro da função pública existe quem trabalha... Quem de facto merece um pouco de tolerância... também se esquecem que anda por aí muito desemprego a receber subsídio, na boa vidinha, que ainda se dá ao luxo de ir de férias na páscoa. Posso dizer que há seis anos atrás não o gozei a tolerância e trabalhei até ás 19h sem receber qualquer compensação por tal.

De Criatura da Noite a 24.04.2011 às 19:23

Permite-me discordar por completo. Estamos a falar de coisas completamente diferentes. Sim, é totalmente verdade que anda por aí muita gente a receber apoios sociais indevidamente sem fazerem o mínimo esforço para sair dessa situação. Mas nessas situações apenas podemos culpabilizar, por um lado, a legislação em vigor que se mostra demasiado branda e, por outro, a falta de fiscalização.

Em relação à tolerância de ponto, sabes que esta espculação faz todo o sentido. Eem primeiro lugar, ninguém está a pôr em causa o trabalho de todos aqueles que trabalham para manter os serviços mínimos (médicos, enfermeiros, polícias...).

Aqui, a questão é saber até que ponto temos moral para andar a mendigar - sim, porque é disso que se trata! - uns tostões ao resto da Europa, quando nós próprios transmitimos lá para fora a imagem de um povo que não quer trabalhar.

Tal como tu, acredito que haja bons funcionários públicos que em certos momentos das suas vidas profissionais tenham abdicado da tolerância de ponto para cumprir os seus deveres, mas também tens plena consciência que esses devem ser uns exemplares raros, não é?

De T. a 25.04.2011 às 12:05

Actualmente nem por isso, são muitos mais. Vou continuar a discordar sempre de ti neste ponto. Quanto ao mendigar... Epá, quem votou no Socrates e companhias veja agora o bom resultado obtido

De Criatura da Noite a 25.04.2011 às 14:11

lol bem que poderiamos estar aqui o resto do ano que, muito provavelmente, não iriamos chegar a acordo quanto à tolerância de ponto.

Comentar post