Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A MULHER DOS MEUS SONHOS

Terça-feira, 06.05.08

Há sonhos que parecem realidade...

 

Era uma tarde cinzenta. O sol teimava em aparecer mas, de quando em vez, dava um ar da sua graça.

 

De repente, lá estava ela. Cabelo ondulado, magra, vestida de escuro e um sorriso deslumbrante. Era motorista e encontrávamo-nos no seu local de trabalho, um terminal rodoviário, algures no distrito de Lisboa.

 

A primeira vez que os meus olhos pousaram nos dela, senti que era a mulher que, desde sempre, procurara. Simultaneamente, senti que, mais uma vez, não teria qualquer hipótese. Sempre fora assim. Desta vez, porque seria diferente?

 

Contrariando os meus sentimentos, tentei falar com ela e mesmo não obtendo a sua atenção, tomei coragem e dei-lhe o meu número de telemóvel e o meu e-mail. Quem sabe se ela tomaria o meu gesto em consideração... 

 

Por obra e graça dos deuses, de repente, observei-me a subir as escadas do seu prédio, enquanto falava do seu filhote. Passou o braço pelo meu pescoço e eu, carinhosamente, rodeei-lhe a cintura.

 

Como num sonho, segredou-me ao ouvido: "Amo-te cada vez mais".  Estas palavras foram como um sonho tornado realidade, uma realidade que, afinal, não passava de um sonho. Senti-me a pessoa mais feliz e  triste do mundo. No meu subconsciente sabia que aquilo era apenas um sonho.

 

A meio do percurso para sua casa, senti-a desfalecer. A diabetes, sua companheira de alguns anos a esta parte, atacara-a sem aviso prévio. Procurei o seu estojo de 1ª socorros, mas a única coisa que encontrei foi uma ampola de insulina vazia e uma seringa partida.

 

O que fazer? Nunca me deparara com uma semelhante situação.

 

Pousei o seu corpo inerte nas escadas e procurei ajuda. Para meu desespero, ninguém parecia interessado em ajudar. Finalmente, um homem que se identificou como médico, acompanhou-me ao local onde jazia o seu corpo e ordenou-me que arranjasse um copo de água com açúcar. Nestas situações, seria o procedimento mais correcto.

 

Corri até um café algures num dos pisos superiores, enquanto um pensamento assaltava o meu espírito: "Como pudera não me lembrar de algo tão simples como um copo de água com açúcar?! Depois de tantos anos à espera dela, será que merecia mesmo o seu amor?!"

 

Apesar de tudo não ter passado de um sonho estúpido, ainda hoje penso nele com carinho. No fundo, desejo que cada momento daquele sonho, um dia, possa tornar-se realidade...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Criatura da Noite às 16:33


2 comentários

De Estrelaminha a 06.05.2008 às 17:40

boa tarde, minha amiga! :D
um sonho que vai tornar-se realidade. ;-)
beijocas

De Criatura da Noite a 06.05.2008 às 18:12

Olá!
Felizmente, ainda não pagamos por sonhar, não é?
Obrigada pela tua visita.
Beijocas.

Comentar post